Ecologia da ostra do mangue

 

 

Em meados de 2008, no início da elaboração desta pesquisa, o Projeto Cultimar, desenvolvido pelo Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais (GIA), da Universidade Federal do Paraná (UFPR), completava dois anos de existência. Desde então, o Cultimar, que tem como um dos seus objetivos a geração de renda nas comunidades litorâneas, buscou, como uma das suas linhas de atuação, o fomento da ostreicultura paranaense na Baía de Guaratuba e no Complexo Estuarino de Paranaguá. Naquele momento, muitas eram as dificuldades enfrentadas pelos maricultores familiares que, na maioria das vezes, encaravam a maricultura apenas como atividade complementar à renda familiar.

As dificuldades incluíam a carência de tecnologia, conhecimento técnico e incentivo à atividade. No entanto, durante os últimos seis anos, muitas ações com o objetivo de melhorar a qualidade de vida das comunidades tradicionais e a ostreicultura local foram desenvolvidas, especialmente na baía de Guaratuba.
Localizada na porção sul do litoral paranaense, a baía de Guaratuba faz parte de um ecossistema com muitos rios e manguezais preservados. Nesta região encontra-se a Área de Proteção Ambiental Estadual de Guaratuba (APA de Guaratuba) e também o Parque Nacional de Saint Hilare-Lange, uma área de preservação ambiental que comporta em seu entorno pequenas comunidades litorâneas, atividades de ecoturismo, restaurantes, quiosques, marinas, fazendas marinhas, entre outros.
O presente estudo foi planejado e realizado neste contexto, surgindo a partir da busca de novos conhecimentos sobre as espécies nativas de importância econômica, em especial a ostra Crassostrea brasiliana (sinonímia para Crassostrea gasar). Essa espécie é reconhecida pelos produtores como a mais adequada aos cultivos realizados em sistemas fixos flutuantes e também é largamente extraída do ambiente para comercialização direta ou como semente ou juvenil para o abastecimento dos cultivos.
A pesquisa aqui apresentada foi realizada paralelamente ao projeto Cultimar. A proposta desta tese é pesquisar aspectos biológicos da espécie de ostra do mangue C. brasiliana em manguezais da Baía de Guaratuba e, com base nestas informações, ampliar o conhecimento para desenvolver a ostreicultura paranaense, bem como o manejo de bancos naturais. O trabalho contribuiu com as bases científicas para o desenvolvimento e o aprimoramento de tecnologias direcionadas ao aumento da eficiência produtiva e à redução dos impactos ambientais relacionados à ostreicultura realizada no litoral paranaense e, de modo mais específico, na Baía de Guaratuba. (Baixar pdf)


 

rodape